Bebê Amarelinho: Icterícia Neonatal


 

Banho de sol pra pegar um bronzeado…

A icterícia neonatal fisiológica atinge cerca de metade dos recém nascidos a termo e é tida como normal.

O que acontece é que o bebê recebe doses extras de glóbulos vermelhos da mãe pelo cordão umbilical, durante o parto e o seu fígado não é capaz de metabolizar.

Esse efeito pode ser potencializado quando o tipo sanguíneo da mãe e do bebê são diferentes, como aqui – eu sou O+ e a Rafa é A+.

A evolução do aumento da bilirrubina pode ser vista na pele do bebê pela cor amarelada e começa na cabeça, descendo para o tronco, em seguida membro superiores e inferiores (zonas de Kramer).

Enquanto estiver no nível do tronco pode ser tratada em casa com banhos de sol, sempre acompanhada de perto por um pediatra. Ela costuma aparecer entre o segundo e o terceiro dia de vida e tem seu pico no quinto, mas pode aparecer até o sétimo dia. O amarelado deve sumir depois de aproximadamente uma semana do diagnóstico.
A partir do momento que atinge os membros, possivelmente o nível está muito alto e o bebê precisará passar pela fototerapia (banho de luz).

Um método não comprovado pela ciência, mas muito usado pelas mamães e que não faz mal nenhum – ou seja, o famoso “não custa tentar” – é o banho com chá de picão, uma planta com função hepatoprotetora famosa para tratar problemas no fígado e úlceras, além de estimular a excreção da bilirrubina.
Para o banho de picão, acrescenta-se 10 col. de sopa de folhas de picão picadas em 2L de água. Ferver e abafar por 10 minutos. Coar e dar banho com a água, quando estiver em temperatura agradável.

Por aqui o vovô-pediatra tem acompanhado e está tudo dentro do esperado com a nossa Rafinha.

Fotos: Arquivo Pessoal / Google Images

Previous Ensaio de Gestante por Laura Alzueta
Next Relato de Parto da Rafaela

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *