10 Coisas que eu teria feito DIFERENTE

Que a maternidade é cheia de "auto-culpa" todas nós sabemos. Parece que é sempre na hora em que paramos e ouvimos o silêncio da casa, pensamos nas coisas que não deram certo ou que poderiam ter sido diferentes. 
Acredito que essa reflexão natural que fazemos é extremamente saudável para pesarmos na balança aquilo que estamos acertando e aquilo que gostaríamos de mudar... Aliás, falando em mudar... Você já parou pra pensar em tudo o que gostaria de fazer diferente com seus filhos, se pudesse voltar no tempo?

Convidei as minhas amigas do 11 Blogs, 11 Segredos para listar 10 coisas que gostaríamos de poder mudar. Para minha surpresa as listas, além de super sensíveis, são muito divertidas! Conseguimos ver a semelhança na maioria de nós e os "erros" que sempre cometemos.


1. Teria comprado itens de enxoval mais práticos, principalmente roupinhas RN e P, dispensaria tantas mamadeiras, copos e talheres.
2. Teria me informado mais a respeito da humanização do parto. Para mim, bastava que fosse parto normal e pronto. Nunca li a respeito do tempo para cortar o cordão, colírio e manipulações desnecessárias e abusivas tanto comigo, quanto com o bebê
3. Teria cuidado mais do meu corpo no pós-parto. Emagreci rapidamente com a amamentação mas por descuido com a alimentação ganhei muito peso após os 6 meses do Gu
4. Teria mais paciência para ensinar, ao invés de punir ou gritar
5. Me esforçaria mais para ter uma rotina definida
6. Teria tirado mais fotos da gestação
7. Teria feito muito mais vídeos do Gu bebê (ah como esse arrependimento dói!)
8. Teria tido menos medos de que algo desse errado na gestação e tentaria curtir mais
9. Encontraria a fórmula mágica para dormir a noite inteira
10. Teria oferecido mais leite de fórmula enquanto ele ainda não recusava.

Listei as dez coisas que gostaria de ter feito diferente, mas confesso que haveria muito mais o que listar como "teria dado chupeta", "teria ensinado a dormir no berço", "teria sido mais rígida na rotina"... Daí, quando olhei para a lista das amigas mombloggers, muito mais experientes do que eu, querendo ter feito tudo ao contrário, percebi que no fundo, no fundo, não queria ter feito tudo isso mesmo e segui meu coração e meu instinto deixando tudo fluir naturalmente.

Algumas não conseguiram chegar nem no item 6, o que - na verdade - é uma coisa muito boa, não acham?! Rsssss 
Confiram o que elas queriam ter feito diferente...


1. Teria comido menos durante as minhas gestações e feito um acompanhamento com nutricionista.
2. Colocado o meu primeiro filho recém-nascido para dormir do meu lado em um moisés e não no quartinho dele. Facilita demais na hora de dar de mamar de madrugada estar perto, além de a criança o bebê ficar mais tranquilo. Sei da diferença porque fiz dessa maneira com o meu segundo filho.
3. Na hora que meus filhos chorassem a noite e pedissem a minha cama deixaria ao invés de ficar tanto tempo tentando fazê-los dormir novamente.
4. Não teria comprado cadeirinha de balanço, cadeirão reclinável é um monte de tralha que depois nem usamos
5. Teria aceitado mais ajuda desde o ínicio ao invés de pensar que só eu deveria fazer tudo!
6. Pensaria e procuraria algo para fazer fora a maternidade muito antes do que fiz.
7. Seria menos dura com a educação e relevaria algumas coisas.
8. Teria tentado seguir, desde o princípio, uma medicina mais alternativa com menos antibióticos.
9. Eu teria imposto menos regras, acho que fui severa demais com medo que a rotina desandasse se eu não cumprisse a risca
10. Sei que só fui mais tranquila com o segundo porque tive o primeiro, mas teria sido mais flexível com o primeiro filho como fui com o segundo.

O BLOG: Sou Gabriela, e com a Thaís escrevo o Blog Mãe Fora da Caixa. Nosso blog fala para mulheres que pensam além da maternidade. Escrevemos para vocês, mães, que empenham-se com amor para criar e educar os filhos, mas que também valorizam e conseguem apreciar tantas outras coisas na vida. Conheça o Blog.

1. Não me sentiria culpada por não conseguir amamentar por mais de 3 meses
2. Aproveitaria o tempo que Alice estava dormindo e dormiria também, ou leria um livro
3. Compraria menos roupas e menos sapatos
4. Não daria chupeta. Alice usou até 2 anos e meio, foi super tranquilo de tirar, mas hoje eu não daria "a primeira vez".
5. Daria mais atenção a mim mesma, às minhas necessidades

Mas pra ser franca, de verdade, do fundo do coração, eu faria sempre o que minha intuição indicasse. Prefiro não seguir a modinha "dazamigas" e opto por respeitar e ir de encontro ao que eu acredito ser bom e adequado ao meu universo e ao da minha filha com equilíbrio e sensatez. 

O BLOG: Karina Ruela é mãe da Alice, de 3 anos e 2 meses e responsável pelo Para Criança, que existe para incentivar a ligação entre pais e filhos através de cultura, diversão, entretenimento e viagens. Aproveitar a infância é essencial! Conheça o Blog.

A! Difícil! Por aqui sempre tivemos muuuita tranquilidade! Chega até a me assustar, mas é a realidade, por isso é tão difícil pensar o que teria feito de diferente mas, vamos lá:
1. Eu teria saído mais com ele junto;
2. Eu não teria dado chupeta quando ele largou o peito;
3. Eu queria muito ter feito pn;
4. Eu queria ter registrado muito mais a gestação;

O BLOG: Sou Isabela e escrevo no blog 50 Tons de Mãe, onde compartilho minhas experiências como mãe e mulher. Lá você encontra dicas sobre a maternidade, saúde, cultura e coisas de mulherzinha. Conheça o Blog.

1. Teria me informado mais sobre amamentação;
2. Teria carregado pra dormir comigo quando bebês;
3. Teria sofrido menos ao dar chupeta e fórmula;
4. Teria me estressado menos quando ele perdia o sono e eu também;
5. Teria escutado mais minha avó e todos os ensinamentos que ela me deu e muitos eu desdenhei…
6. Não teria comprado presentes enormes e mirabolantes, pq eu achava legal e ele nem ligou…
7. Teria me preocupado mais com uma tosse ou catarrinho, pois na maioria das vezes evoluíam para um quadro mais sério e eu não me preocupava achando que era bobeira… ;(
8. Teria comprado o enxoval com peças mais simples e práticas, como carrinho de bebê guarda chuva e roupinhas mais fáceis de vestir e lavar;
9. Teria mais paciência pra a evolução natural do meu filho, sem pressa para colocar na natação, vê-lo andando ou engatinhando e nem comendo sozinho;
10. Tive a oportunidade do segundo filho e agora do terceiro e tudo que já listei, fiz diferente!

O BLOG: Sou Thieli, empresária e mãe de três meninos, escrevo o blog Clube de Duas há 6 anos com minha irmã. Um blog divertido, dedicado a lifestyle, moda e maternidade. Conheça o Blog.

Me considero uma mãe de primeira viagem às cegas. Eu não tinha idéia de onde estava colocando os pés e acabei dando ouvidos à qualquer um durante a gestação e puerpério. Faria muita coisa diferente e não tenho vergonha de dizer isso. Não nascemos sabendo tudo e estamos aqui para aprender. Tenho um compromisso comigo mesma de "corrigir" isso na segunda gestação.
1. Não teria dado ouvido aos palpiteiros em momentos de fragilidade
2. Teria dado mais colo e mais peito quando Théo tinha semanas
3. Não teria esquecido tanto de mim. Demorei muito para resgatar minha identidade
4. Não teria feito tanto silêncio durante as sonecas, hoje Théo tem o sono leve
5. Teria feito tudo com mais calma, muitas vezes faço tudo rápido demais e isso estressa o ambiente.

O BLOG: O Clube da Fraldinha trata dos mais diferentes e variados temas ligados à gestação e à maternidade. Falamos de decoração, festas, cuidados, dia-dia, produtos, comportamento, educação, higiene, lazer e muito mais. Entrevistas com mães famosas, programação infantil, dicas de viagens e colunas profissionais são nossos destaques. Conheça o Blog. Conheça o Blog.

1. Pedido mais ajuda para sogra, mãe, cunhada, amigas sem achar que eu estaria enchendo o saco. Hoje adoro ajudar quem me pede ajuda e acho que tive "dedos" demais quanto à isso;
2. Teria me afetado menos com o bullying materno que sofri ao contar que meu parto foi cesárea ou o tempo que amamentei. Hoje vejo o quanto aquilo jamais agregaria em nada e só fez me deixar emocionalmente mais abalada em uma fase em que os hormônios já fazem sozinhos muito bem esse desserviço hahahaha
3. Não teria comprado várias coisas que não usei (não só roupas, mas coisas de artigo de puericultura)
4. Teria aprendido mais e melhor sobre o parto que eu desejei pra Laura (o normal) para poder ao menos dialogar com o médico na hora em que fui levada para uma cesárea desnecessária.
5. Teria procurado menos coisas no google e ouvido mais meus instintos maternos.
6. Teria organizado melhor - e impresso - as fotos do crescimento da Laura.

O BLOG: Mariana Belém é editora e responsável pelo blog Mamãe de Primeira Viagem que começou há 4 anos dentro do portal da Veja SP, já grávida da sua primeira filha Laura. Criado para dividir suas angústias e dores ao perder um bebê antes de ter sua primeira filha, o blog segue de forma independente e acabou por tomar o rumo de dividir suas novas experiências como mãe e mulher com objetivo de “abraçar” outras famílias em momentos delicados, especiais, inseguros, emocionantes e difíceis da vida pós maternidade. Conheça o Blog.


1. Não ficaria pensando se iria dar conta, sofrer por antecedência, a vida é ciclo, tudo flui e acontece espontaneamente;
2. Não compraria roupinhas desnecessárias como conjuntinhos pagãozinhos, roupas tamanho RN, perdem muito rápido e, eles ganham muito;
3. Curtiria bem mais o bebê, pois passa muito rápido. As lembranças que tenho são sempre das correrias, hora certa para trocar, dar mamadeira, passou e sinto que não curti o suficiente.
4. Abriria mão de trabalhar fora para dedicar exclusivamente a maternidade em tempo integral, pelo menos no primeiro ano de vida.
5. Evitaria correr tanto, iria deixar os afazeres domésticos de lado para simplesmente deitar perto do bebê e admirar sem medo ou culpa da montanha de roupas que tem pra lavar ou casa pra limpar;
6. Seguiria muito mais o meu jeito;
7. Insistiria um pouco mais na amamentação até pelos menos 6 meses, não me importaria intercalar com L.A. (Cleo S Oliveira)

O BLOG: Portal Mães Brasileiras – Feito por mães reais, para mães reais. Duas mães em diferentes situações e experiências vividas, mas com único sentimento, o amor incondicional pelos filhos. Conheça o Blog.

1. Teria sido mais corajosa
2. Me informado mais sobre os terribles e várias outros conflitos recorrentes
3. Deixado as meninas dormirem mais na minha cama
4. Ouvido menos, muito menos as pessoas e seus palpites insensatos
5. Teria lido mais sobre a gravidez e suas surpresas
6. Teria feito um curso de culinária para arrasar mais nas papinhas e comidas das meninas
7. Teria feito mais vídeos das meninas
8. Escrito um livro na fase dos "porquês"
9. Me preocupado menos com coisas insignificantes
10. Limitado e impedido algumas visitas, colocado um vidro de álcool na porta de entrada da casa quando as meninas eram bebês.

O BLOG: Bela Aires é advogada e mãe de duas princesas de 7 e 4 anos. Desde que se tornou mãe passou a ter um interesse ainda maior por todo o universo materno e/ou infantil. Assim, surgiu o Criançaria, um site onde ela divide suas experiências e muitas informações! Conheça o Blog.

Conta difícil de fazer! Toda vez que me questiono sobre se agi certo ou errado, penso que fui e sou a mãe que posso ser. Aquela que é pautada pelo amor incondicional, que erra, acerta, duvida, recua....mas sempre com a intenção de fazer o melhor e dar o melhor de si. É claro que a evolução pressupõe autocrítica, mas nunca uma atitude de auto flagelo. Tem que saber expulsar o fantasma da culpa, que só paralisa e deprime. Somos quem podemos ser! Mas se é para elencar o que poderia ser melhorado, lá vai:
1. Teria gastado menos nos 2 enxovais dos kids. Muitas peças usei apenas 1 vez
2. Teria respeitado o repouso absoluto durante a gravidez gemelar, pois assim teria talvez evitado 3 graves intercorrências hospitalares
3. Teria deixado as babás fazerem o trabalho delas. Eu quase tive uma estafa por querer fazer tudo nos primeiros meses.
4. Teria fugido mais vezes pra Bahia pra "respirar" por uns dias sozinha.
5. Teria feito meditação na gravidez. Fiz apenas Yoga  até o quinto mês. 
As outras 5 atitudes estou a pensar. Que bom! Sinal de que me considero uma boa mãe. E você? 

O BLOG: Universo Jatobá é um portal de bem estar e sustentabilidade que entende que o equilíbrio é a chave de uma vida saudável e completa. Como mãe de gêmeos, eu, Rosana Jatobá, também falo dessa experiência maravilhosa e procuro ajudar outras mães nessa incrível missão. Conheça o Blog.


1. Gostaria de ter amamentado imediatamente após o parto.
2. Dado o primeiro banho em meu filho.
3. Tirado mais fotos de newborn.
4. Passeado com mais frequência e menos neuras (quando ele era bebê).
5. Confiado mais no meu jeito.

O BLOG: Leticia Dantas é mãe do Ben, blogger e social media mom. Ela é também a criadora do canal Mães na Disney, onde compartilha dicas de viagem. Em seu blog ela traz informações e inspirações relevantes sobre o mundo materno, afinal a vida é melhor com filhos. Conheça o Blog.

E você, se pudesse fazer diferente, o que mudaria? Participe através dos comentários e nos conte sua experiência.

Comentários

  1. Estamos na fase de puerpério aqui em casa, segundo a Letícia ela teria passeado mais e sem neuras... Na primeira vez q sai para a casa do vovó falaram tanto que chorei horrores e me senti a pior mãe do mundo... Pois o meu médico indicou sair apenas após o terceiro mês! Como vocês mamães lidaram com essa questão nesta fase?

    ResponderExcluir
  2. Priscila, eu fui bem desencanada com isso... Com 7 dias fui ao shopping dar uma volta.. Claro que foi assim que abriu, ele estava vazio e eu nem tirei o bebê do carrinho, tomando mil cuidados.. Fomos pra igreja quando ele tinha 20 dias, tb num dia de culto vazio, mas dessa vez as senhorinhas quase me massacraram... Fiquei mais a vontade pra passear mesmo quando ele completou 2 meses, mas não deixava ngm pegar (sim, eu morria de neura rssss).. Acho que se vc estiver a vontade, tomar os devidos cuidados de ambientes mais ventilados, longe de perfumes fortes, fumaça de cigarro e carros, acho super tranquilo!

    ResponderExcluir
  3. Com 2 semanas levei meu filho na casa da bisavó e quase surtaram comigo. Disse que ele deveria se acostumar com o ambiente e as pessoas e isso não o mataria (falei no jeito mais tranquilo possível SQN kkkkk) e resolveram não me criticar. Após esse dias continuei saindo com ele mas para lugares bem abertos (a pediatra dele também recomendou a partir do 3° mês, até parece ne?). O meu único "sofrimento" hoje é que ele com 3 anos ama sair de casa... Deve ter sido porque acostumei desde cedo. Além do mais, onde meu marido e eu vamos, ele ta coladinho com a gente. Sucesso e uma dica: mãe sempre sabe o que é melhor para o filho, acredite!

    ResponderExcluir
  4. Priscila, eu tenho 3 filhos.. o primeiro cheio de neuras nao sai ate fazer 1 mes , ai fui ate a casa da minha mae... a segunda sai c 15 dias, vim no trabalho, vim dirigindo c ela.... e a terceira.... sai c 5 dias , passei no trabalho... fiz pagamentos... sempre recebi criticas, saiba que sempre seremos criticadas seja la qual for nossa decisao... e como disse nossa amiga Tati , mae sabe o melhor pro seu filho... bjuss

    ResponderExcluir
  5. Eu sai da maternidade, passei no banco sacar dinheiro (só eu poderia sacar por causa da digital) fui ao shopping almoçar (estava meio vazio por ser pequeno e no meio da semana), fui a uma festa de aniversário e ele tinha 5 dias e em outra qdo ele tinha 12. Não me sinto culpada. Protegi o meu filho da maneira que achei correta e agi sem neura. :)

    ResponderExcluir
  6. Eu sai da maternidade, passei no banco sacar dinheiro (só eu poderia sacar por causa da digital) fui ao shopping almoçar (estava meio vazio por ser pequeno e no meio da semana), fui a uma festa de aniversário e ele tinha 5 dias e em outra qdo ele tinha 12. Não me sinto culpada. Protegi o meu filho da maneira que achei correta e agi sem neura. :)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Instagram

Postagens mais visitadas