Meu filho é Melhor que o Seu

O meu filho é melhor que o seu. Isso é óbvio para mim. Pra você não?!
Calma, deixe-me explicar. Aquela criaturinha totalmente desejada e gerada por mim, na qual diariamente invisto tempo, sono, suor e até lágrimas é, sem sombra de dúvidas, a melhor das criaturinhas do mundo, certo?! Para mim, é o melhor filho do mundo.  Logo, o meu filho é melhor que o seu, assim como o seu filho, pra você, é melhor que o meu.
Não se sinta culpada por aceitar isso. Você é mãe.

Agora que aceitou esse fato, vamos ao que interessa. Ultimamente tenho visto muitas mães reclamarem da competitividade entre a "mesma espécie", essencialmente na internet. Acredite, essa competitividade não é algo exclusivo da maternidade, muito menos é um problema atual. Isso é tão antigo quanto a humanidade, a internet apenas fez com que a rivalidade, que sempre existiu, fosse mostrada a qualquer um que estivesse disposto a ver. Aliás, a internet e as redes sociais afomentam a tal competitividade já que é o lugar mais propício para estampar uma vida feliz e colorida e, falando em mães, filhos lindos, saudáveis, inteligentes e super-desenvolvidos.
Mas seja na internet ou na pracinha, toda mãe já passou por momentos em que se sentiu em um jogo imaginário, onde a pontuação está diretamente ligada à quantidade de coisas que o seu filho faz melhor que os filhos das demais competidoras. 
Isso faz parte da natureza humana. Quando alguém conta uma história triste, sempre tem alguém com uma história ainda mais triste para contar. Seja por bem ou por mal, comparamos nossas vidas e experiências com os outros.
Essa comparação é tão natural que já começa na maternidade com o teste Apgar, onde seu filho, com poucos minutos no mundo, já recebe a sua primeira nota da vida. A partir daí, começa uma série de comparações.
Se dorme a noite inteira, seu filho tem o pódio. Se sentou aos 6 meses, engatinhou, andou, falou... Quantos dentinhos já tem, quando nasceram, nunca ficou doente... Se dorme sozinho, se brinca com os outros, se gosta de animais. Enfim, são tantos tópicos a comparar.
É claro que você já esteve na situação de "perdedora", mas também já foi uma "vencedora" em pelo menos um tópico. O que eu quero dizer com esse post é que, embora haja realmente mães inseguras que precisam se autoafirmar e diminuir outras mães e sua prole imperfeita, a maioria das mães apenas está contando os feitos e conquistas dos seus filhos. E qual mãe não faz isto? É tão natural para nós, quanto o ar que respiramos. Somos mães, leoas, orgulhosas de suas pequenas crias e, claro, queremos contar ao mundo tudo o que elas fazem de melhor. Isso não quer, necessariamente, dizer que queremos contar ao mundo que elas são "a melhor".
Eu, sinceramente, acredito que o jogo da competição está muito mais nos ouvidos de quem recebe um comentário, do que, de fato, quem faz.
E falo com propriedade. Gu sempre foi à frente no desenvolvimento motor e chego a evitar comentar a respeito, a não ser que alguém me pergunte. Ele sentou com 6, engatinhou com 7, andou com 8 e aos 9 já corria e escalava móveis. Isso é ofender alguém? Não acho. Mas conheço mães que se ofenderam quando falei.Por outro lado, aos 20 meses ele ainda mama de 3 em 3 horas. 
Todas nós somos mães. Todas nós sabemos que cada criança tem o seu próprio tempo. Tem criança que anda primeiro, tem criança que fala primeiro, e assim por diante. 
Esse post faz parte do projeto 11 Blogs e 11 Segredos, um projeto criado por mães que compartilham diariamente, através de seus blogs, as experiências que a maternidade proporciona à mulher, os anseios, desejos, alegrias, emoções e dúvidas. Selecionamos 11 temas que são discutidos semanalmente. São 11 blogs conceituados e conhecidos na blogosfera. Saiba o que cada uma falou sobre o tema de hoje.

  • Mãe Fora da Caixa: Como isso existe! Como a gente conhece pessoas que estão toda hora colocando os filhos em competições que são delas, e não das crianças. Agindo assim, a mãe só vai contribuir para que a criança se torne competitiva ao extremo, pois, é claro, que em algum momento o filho (a) vai perceber o comportamento da mãe e vai começar a agir do mesmo modo. Penso que pessoas competitivas demais sofrem muito por querer sempre chegar na frente, não conseguem viver uma vida tranquila e cheia de sentimentos bons pois a preocupação é sempre em ser melhor que o outro. 

Sou Thaís, e com a Gabi escrevo o Blog Mãe Fora da Caixa. Nosso blog fala para mulheres que pensam além da maternidade. Escrevemos para vocês, mães, que empenham-se com amor para criar e educar os filhos, mas que também valorizam e conseguem apreciar tantas outras coisas na vida. Conheça o blog
  • Para Criança: Toda vez que vejo qualquer criança com idade regular à de Alice inevitavelmente vem a comparação, muitas vezes sem a menor intenção, de saber no que e o quanto Alice é melhor que aquela criança. Sinto o mesmo de TODAS as mães, mesmo que veladamente. Mas obviamente sei que não há, em lugar nenhum nesse mundão de meu Deus, um ser humano exatamente igual ao outro, e com Alice não seria diferente. Racionalmente sei que ela se destaca sim em alguns aspectos, e que se apaga em outros, e que isso faz parte não apenas da infância, mas da vida de todo mundo. Do meu, do seu, dos nossos filhos. Mas que toda mãe acha que o filho é melhor que o filho do outro, ah acha!!! 
Karina Ruela, mãe da Alice, de 2 anos e 10 meses, responsável pelo Para Criança. O Para Criança existe para incentivar a ligação entre pais e filhos através de cultura, diversão, entretenimento e viagens. Aproveitar a infância é essencial! Conheça o blog


  • 50 Tons de Mãe: Se tem algo que me irrita profundamente é essa comparação desenfreada que algumas mães insistem em manter, comparando seus filhos com os demais! Eu, particularmente, não sou das que fica falando sobre o que o filho faz sem ter sido questionada. Para a família eu encho a boca, mas por aí, raramente, pois eu nunca sei o que acontece do lado de lá e fico sempre com a impressão de que, dependendo do que falar, tenho a impressão que posso parecer exibida, sabe? 

Sou Isabela e escrevo no blog 50 Tons de Mãe, onde compartilho minhas experiências como mãe e mulher. Lá você encontra dicas sobre a maternidade, saúde, cultura e coisas de mulherzinha. Conheça o blog

  • Clube de Duas: Quando vemos crianças que nasceram em datas próximas, estudam na mesma sala ou estão no mesmo grupinho de amigos da mesma idade é inevitável a comparação. Acredito que muitas vezes as mães conversam sobre o assunto tentando entendem como é o comportamento do seu filho diante dos outros, mas muitas vezes esse bate papo materno vira uma disputa, uma concorrência do que um faz e o outro faz. Quando esta disputa fica apenas no papo, ok. O problema é quando mães “inconformadas”, sem razão, tentam fazer seus filhos melhores que os outros, colocando a criança em milhões de atividades e perdendo a essência da infância, que é brincar.
Sou Thieli, empresária e mãe de três, escrevo o blog Clube de Duas há 5 anos com minha irmã. Um blog divertido, dedicado a lifestyle, moda e maternidade. Conheça o blog



  • Clube da Fraldinha: Honestamente, dá vontade de cortar contato com mães assim, você conta uma coisa e ela vem e fala o meu filho faz isso e mais isso. Gente, coisa chata. Acho que esse momento que uma mãe compartilha algo é um momento que de alegria que ela quer exteriorizar, não é para gerar uma competição, não precisa contar uma coisa do seu. Deixa ela ser feliz contato. Depois você conta outra. Não tem melhor ou pior. Não tem essa de dizer meu filho andou com 10 meses, nossa o seu tem 12 meses e não anda ainda!!! Vamos saber conversar, compartilhar alegrias sem que vire concurso de quem conta mais.
O Clube da Fraldinha trata dos mais diferentes e variados temas ligados à gestação e à maternidade. Falamos de decoração, festas, cuidados, dia-dia, produtos, comportamento, educação, higiene, lazer e muito mais. Entrevistas com mães famosas, programação infantil, dicas de viagens e colunas profissionais são nossos destaques. Conheça o Blog
  • Papo de Mamãe Amélia: Se tem uma coisa que irrita todas as Mães é a comparação de filhos. Meu filho tem a melhor roupa, o meu tem o cabelo mais bonito, o sapato mais limpo, a festa mais cara. Isso é uma coisa que de fato me tira do sério. Pra quê tanta competição? Porque não podemos apenas viver de forma normal? Eu sinceramente não entendo e nem nunca vou entender algumas atitudes dessas pessoas, mas o que podemos fazer é fingir que não vemos e não ouvimos esse tipo de comentário.

Meu nome é Jenny Francia e sou do Blog Papo de Mamãe Amélia, onde compartilho o meu dia a dia de dona de casa e mãe e dou várias dicas bacanas. Conheça o Blog 


  • Mães Brasileiras: Nós vivemos em uma sociedade em que todos querem competir e ser melhor do que o resto, isso não é necessariamente ruim, mas fora do contexto quando mães usam seus próprios filhos (até mesmo bebês!) para exibir-se … ” minha princesa na noite passada manteve sua cabeça erguida por 3 segundos completos, e o bebê da fulana que é mais velho, ainda não pode! ". Eu não estou dizendo que é errado celebrar as conquistas dos nossos filhos, pelo contrário; o problema é comparar e achá-lo muito melhor do que outros. Em vez de celebrar as conquistas comemorar o fato, muitas fazem isso porque pensam que há alguma superioridade em fazer as coisas primeiro. Muitas mães ficam muito preocupadas quando vêem que seu bebê ainda não faz o que alguns sites ou médicos dizem que o bebê já deve fazer,  basta lembrar que cada criança é diferente e vai se desenvolver em seu próprio ritmo, e isso não está errado, nem implica que é "lento" ou “inferior". Alguns andam mais cedo, outros mais tarde, outros falam antes e assim é e vai ser com todos. Faz parte do desenvolvimento infantil, humano. Por Flavia Miranda

Portal Mães Brasileiras - Feito por mães reais, para mães reais. Duas mães em diferentes situações e experiências vividas, mas com único sentimento, o amor incondicional pelos filhos. Conheça o blog.


  • Criançaria: Qual mãe prefere o filho do outro que o dela? É óbvio que uma mãe normal vê mais as qualidades do seu filho do que os defeitos que eles têm. Mas é muito mais fácil ver os defeitos do filho do vizinho do que os nossos, não é mesmo? Pensar que nossos filhos são melhores que os filhos dos outros é tão enganoso! Ninguém é bom em tudo e claro que em algumas coisas nossos filhos serão melhores e os outros serão melhores que os nossos em outras coisas! Ser mãe é ter um orgulho de todas as descobertas dos nossos filhos, mas precisamos saber que as descobertas e habilidades dos nossos filhos, não são tão importantes para as pessoas “de fora”. Achar meu filho especial e importante não me dá o direito de rejeitar e achar o do outro inferior ao meu.
Bela Aires é advogada e mãe de duas princesas de 4 e 7 anos. Desde que se tornou mãe passou a ter um interesse ainda maior por todo o universo materno e/ou infantil. Assim, surgiu o Criançaria, um site onde ela divide suas experiências e muitas informações! Conheça o blog

  • Roteiro Baby: Pior do que competir pelo cargo de melhor mãe (bullying materno) é envolver as crianças nisso, comparando-as. Até porque, ao desejar que seu filho seja sempre melhor (que si ou outra criança), você está ensinando àquela criança que ela precisa se superar para chamar atenção ou receber elogios e eu acredito que isso pode ser desastroso no futuro. 

Roteiro Baby: há 5 anos no ar e com a maior fanpage para mães no Facebook, o Roteiro Baby compartilha dicas sobre o que há de mais interessante no mercado e cotidiano materno-infantil.  Conheça o Blog

  • Leticia Dream Baby:  Cada vez mais as mães parecem se preocupar em comparar seus filhos com o das outras. No mundo de hoje, com diversas redes sociais onde tudo é compartilhado no facebook ou instagram algumas pessoas vivem em intensa competição. Quando grávidas, quem tem a maior barriga? Quando nasce, qual filho sorriu primeiro? Quando começam a andar, quem deu o primeiro passo antes? Nesta intensa comparação muitas mães acabam deixando de aproveitar plenamente os momentos deliciosos que serão memórias felizes por toda a vida. Não precisa ficar offline e se desconectar do mundo, que hoje inclui também a socialização virtual. Basta ter bom senso e saber que cada criança se desenvolve em seu próprio ritmo e que a beleza esta justamente nesta individualidade. Seu filho sempre será o melhor, mas para você.

Leticia Dantas escreve em seu blog Leticia Dream Baby, que traz informações e inspirações para mães além de muitas dicas sobre a Disney. Conheça o Blog

Comentários

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Realmente e infelizmente o ser humano nasce, cresce e desenvolve aprendendo a competir ao invés de compartilhar.
    Alguém aqui já ficou numa sala de espera de alguma consulta, em que as pessoas competem quem teve mais doenças, quem teve a maior dor, sofrimento, etc.
    Assim nós somos, na vida, na família, no trabalho, nos grupos.
    Eu conheço pessoas que são assim em tudo.
    Mas eu adoto um procedimento, escuto, fico surpresa, concordo, e logo mudam de assunto. O problema é entrarmos no jogo.
    Quanto aos filhos, eu não falo muito delas e nem itensifico alguns elogios. As ações já falam por si. Não me dão trabalho, são quietinhas, educadas, inteligentes.
    Mas o que me incomoda é estar em ambientes com crianças com atitudes contrárias, e as mães me condenarem por minhas filhas serem diferentes, e elas chegarem a conclusão que estão fazendo algo de errado, e eu não, e me olharem com aquele ar de "o que que ela tem que eu não tenho", síndrome da Madrasta da Branca de Neve. E ultimamente tem sido constante, muito chato.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Instagram

Postagens mais visitadas