Mamãe de Casa Viaja: Dia 7 - Sea World

Já quero começar o post com uma observação.
Se você ainda não conhece, assista o documentário "Black Fish" no Netflix. Esse documentário foi produzido após o último acidente fatal em um dos shows do Sea World com a baleia Shamu e sua treinadora. Ele conta o lado negro do parque, coisas que você não fica sabendo lá dentro.
É muito triste, mas temos a esperança de que esse documentário tenha contribuído para melhorias na vida e no dia a dia dos animais de lá.
Mas, mesmo assim, nós fomos e eu vou explicar porquê.


Bom, eu já conhecia o parque, mas há 20 anos atrás e confesso que não lembrava muita coisa dele, mas meu marido nunca tinha ido. Depois de ver esse documentário, decidimos que não iríamos visitar o Sea World e deixaríamos esse dia para irmos ao Universal Studios. Porém o Universal tem pouquíssimas atrações para os pimpolhos, não tínhamos Fast Pass [e não compraríamos] e acabaríamos em filas de 2 horas para conseguir ir nos brinquedos, então decidimos deixar para uma próxima visita a Orlando e ir para o Sea World, onde o Gustavo curtiria mais.

Um adendo.
O "dia 7" não foi o sétimo dia de viagem, e sim o sétimo dia de parque.
No último dia como hóspedes do All Star Sports Disney Resort havíamos programado de passar o dia no Epcot, jantar em um restaurante francês e assistir ao show Illutinations mas como estávamos com malas, precisávamos deixá-las na casa dos nossos amigos, ainda ir até o aeroporto para alugar um carro, desistimos do passeio e fomos descansar.

Voltando ao dia 7.
Amanheceu quente, muuuuuuuito quente e ardido. Pela primeira vez estávamos indo a um parque de carro e vimos como a mamata dos ônibus da Disney são boas! Tivemos que parar o carro num enorme estacionamento, bem longe dos portões, sem contar o preço do estacionamento, né? Que convertendo ao real saiu quase 100 reais! E pegamos um pouco de fila para comprar os ingressos. Até tentamos comprar os ingressos pelo site mas não foi possível pois não aceitavam pagamentos com cartões internacionais, apenas cartões americanos.

O Sea World é um parque um pouco mais popular que os parques da Disney, não sei se o documentário Black Fish teve influência significativa ou não, mas dava pra perceber que, tanto o público era menos seleto, quanto as coisas eram menos organizadas. Mas calma, nada comparado ao Brasil, estou falando do padrão Disney, ok?!

Assim que entramos, demos uma boa olhada no mapa. O parque é pequeno, mas difícil de andar. Cheio de passagens confusas, que só fomos entender a lógica no final do dia.
Ao chegar, fique atendo aos horários dos shows. Existem dois shows principais - o das baleias e o dos golfinhos. Adeque seu programa para assistí-los e tenha em mente que deverá estar uma meia hora antes nas filas/entradas pois lota antes da hora de começar o show.

Três outras atrações imperdíveis são a montanha russa Manta, talvez a mais radical de todos os parques que fomos. É uma ambientação das raias Manta e você vai literalmente de barriga por todo o trajeto. Muito radical! Outra montanha russa imperdível é a Kraken. Ela é enorme e vai de uma ponta a outra do parque e o que mais chama a atenção nela é que os seus pés ficam "voando", já que ela não tem chão.
A terceira atração do Sea World é a famosa foto com os golfinhos, mas por ser um preço salgadinho, não fizemos.

O show dos golfinhos é uma graça! Eles são fofos, queridos e a atração envolve, além deles, pássaros e malabaristas aquáticos.
No intervalo dos shows almoçamos um sanduíche bem bom, no Mango Joe's.

O show das baleias, bom, esse é INCRÍVEL! Mesmo tendo assistido ao tal documentário, o entusiasmo de estar frente a frente com aqueles animais enormes e cheios de expressão "facial" toma conta de você. Juro, quase chorei! 
Ah, mais uma dica: Se você não quer se molhar, sente nas útlimas fileiras, ok? Nós queríamos a experiência mais molhada possível e por isso sentamos NO PRIMEIRO BANCO. Saímos encharcados. Mesmo com capas de chuva cobrindo da cabeça aos pés, molha muito!



A parte que mais fez sucesso para o Gustavo foi, sem dúvidas, a Shamu Happy Harbor, a área molhada! Como o dia estava quente havia muitas crianças e ele se divertiu horrores, enquanto o papai ia na montanha russa!!
O espaço para brincar é enorme. As crianças pequenas ficam nessa parte onde o Gu brincou, mas as maiores, tem um playground gigantesco para explorar e se divertir. Não esqueçam as roupas de banho!






Tem também a área dos Pinguins, mas a fila é bem grande e não conseguimos ir. :(

Continua no #MDCViaja: Refazendo o Enxoval com a Mommy's Concierge

Comentários

  1. Meu parque preferido!!!!! Amoooo!

    ResponderExcluir
  2. Bom dia Karen, amo seu blog e as dicas que vc posta. Vi que qdo foi para orlando viajou de azul. Estarei indo em dezembro e também vou com a minha bebe que vai estar com 1 ano e 7 meses. Como foi a volta ? Vi que na ida vc teve sorte de ficar na fileira do meio. Já reservei o berço. Na volta conseguiu o berço ?Vc achou ele pequeno ? Vi alguns comentarios na net de que as aeronaves são velhas e as tvs não funcionam, como foi todo o voo ? Se puder me dar mais algumas dicas agradeço. Bjos

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Instagram

Postagens mais visitadas