Mamãe de Casa Viaja: Dia 0 - Indo para a Disney

Olá mamães,
hoje começo a série de posts do #MDCviaja pra contar como foram nossas férias na Disney.
Minha ideia era fazer isso em tempo real, mas a internet do hotel não cooperou e o cansaço me boicotou, mas espero que ajude quem está programando suas próximas férias pra lá...!

Bom, antes de começar com o "Dia 0" vou contar sobre nossos planos para a viagem.
Optamos por viajar no vôo da Azul, que é sem escalas - direto Campinas/Orlando. São 8h de vôo que fizemos de manhã. Compramos as passagens pela Decolar e deu tudo certo! Faltando uns 15 dias para a viagem liguei no SAC da Azul para reservar o berço do avião mas a ida já estava indisponível e só consegui reservar para a volta. Já fica a dica, assim que comprarem as passagens reservem o berço ou as poltronas da frente, onde tem mais espaço!
Compramos apenas dois assentos, então já imaginam o aperto né?!
Como queríamos uma experiência completa da Disney fizemos questão de ficar em um dos resorts de lá, o que eu super recomendo, já que quebra um galho na questão transporte. A Disney fornece o translado do aeroporto para o hotel, além de ir para todos os cantos da Disney com o próprio ônibus deles, não precisando estacionar naqueles espaços gigantescos.
Além disso, quem é hóspede da Disney tem algumas regalias, como a Magic Band [pulseira que dá acesso aos parques, serve como "pagamento" para tudo nos parques, se cadastrar seu cartão de crédito e também da direito ao FastPass+] e as Extra Hours [horas extras que os parques abrem e fecham somente para hóspedes] - mas essas coisas você pode encontrar informações completíssimas no blog Loucos Por Orlando que organizou todo o nosso roteiro personalizado para as nossas necessidades e vontades! 
Fechamos nosso pacote de diárias e dinning plan [plano de alimentação] pela empresa Agaxtur. Ficamos 7 dias no All Star Sports, num quarto para até 4 pessoas, simples, mas confortável e com tudo o que precisávamos.

O Gustavo, com 1 ano e 4 meses, já come as mesmas comidas que nós, mas não come fast food, claro! Então optamos por fazer o dinning plan, assim poderíamos comer tranquilamente nos restaurantes com cardápio e comida de verdade - que devem reservados com a maior antecedência possível.
Mesmo assim, levei um estoque de papinhas salgadas Nestlé para os 7 dias que ficaríamos lá e, posso falar? Usei quase todas, já que apenas uma das refeições era feita em restaurante e a outra sempre era pizza ou hambúrguer...
Quem nos segue sabe o quanto prezo por comidinhas saudáveis e caseiras para a alimentação do Gustavo, mas estávamos de férias e eu desapeguei pelos 7 dias!

Outra dúvida que eu tinha... Levar o carrinho do Brasil ou comprar um lá? Acontece que eu amo o carrinho do Gustavo. É da Lenox, muito muito parecido com o Quinny Zap. Mas ele só suporta até 15kg e o Gu, aos 15 meses já pesa 12,5kg. 
Depois de muito pesquisar... Decidi comprar lá, via internet e mandar entregar. 
No fim das contas, comprei o modelo que mais me agradou - Summer Lite 3D, um tipo guarda-chuva que reclina 100% e suporta até 30 e tantos kgs, por $64 - na Amazon, mandei entregar na casa de uma amiga, que me levaria até o hotel no dia em que eu chegasse.

O Dia ZERO - Saída e Chegada

Como o vôo saía de Campinas, aproveitei que meu pai mora lá e dormimos na casa dele. Tomamos café correndo e já estávamos no aeroporto às 6h.
Fizemos check-in, esperamos um montão, aproveitamos o aeroporto vazio e corremos com o Gustavo, gastamos todo o gás dele... Faltando uns 30min para embarcar ele capotou e só acordou para almoçar... UFA.

Nossos bilhetes só davam direito a dois assentos e com o Gu gigante no meu colo, seria impossível sobreviver a 8h de vôo, café, almoço e lanche naqueles centímetros quadrados... Sorte [aliás, DEUS] que conseguimos pular para a fileira ao lado com 4 assentos vazios... Assim viajamos cada um em uma ponta e o com o Gustavo dormindo nos dois assentos do meio.
O vôo foi bem tranquilo, apesar de super demorado para passar... Deu pra assistir três filmes hahahahah!!!! 
Ah, no check-in pedimos uma refeição especial para o Gustavo e olha só o que veio... Achei muito atencioso da parte deles...

O Gustavo acordou pra almoçar, perambulou um pouco pelo avião, fez um baita cocô kkkkk - sobrevivemos à troca naquele cubículo de trocador [vejam o vlog kkkkk], depois dormiu mais e só acordou quando o avião estava quase pousando. Não chorou, não teve dores de ouvido e não deu trabalho nenhum. 
Primeira ansiedade da mamãe estava sanada!

Chegamos em Orlando, pegamos as malas e fomos em busca do translado para o hotel. Confesso que já estávamos exaustos e quase arrependidos de não termos levado o carrinho do Brasil, mas ok, logo pegaríamos o nosso.
Finalmente chegamos ao hotel, fizemos check-in, despejamos as malas e corremos à Downtown [uma área da Disney cheia de lojas e restaurantes - um shopping a céu aberto] para encontrar a amiga e o tão aguardado carrinho.

Esse trajeto hotel-Downtown dura uns 20 minutos de ônibus - um ônibus com temperatura interna capaz de congelar um pinguim!
Encontro rápido, pegamos o carrinho, lanchamos e voltamos ao hotel para apagar, digo, dormir. Ah, e tudo isso com o Gustavo acordado e cheio de energia, explorando tudo!




Vlog do Dia 0

Continua no #MDCViaja Dia 1: Animal Kingdom...

Comentários

  1. Nossa o que é aquele trocador do avião?? Bom, ao menos tem né! E a sorte da fileira vazia bem ao lado de vocês, tudo de bom! Não sabia que as cias aéreas ofereciam berço... Como é isso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Andreia! As cias aéreas acoplam um moisés em uns ganchos na fileira da frente, nas primeiras poltronas, mas só é indicado para bebês pequenos. É sempre bom se informar quantos quilos o berço suporta. De qualquer forma as fileiras da frente são mais confortáveis de viajar com bebês grandes. Bjos e obrigada por escrever!

      Excluir
  2. Que legal!
    Adorei o post! Já tirou todas as minhas duvidas iniciais.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Instagram

Postagens mais visitadas