Natação – Regressão e frustração materna


[GUSTAVO – 2 anos e 5 meses]

Estávamos realmente muito felizes com o Gustavo na natação. Seu medo parecia ter ido embora e finalmente ele poderia brincar e curtir momentos sem estarmos ao seu lado, apenas olhando de longe. Mas não foi assim. Na primeira aula, Gu foi incrível! Se soltou, brincou com todos e se comportou muito bem. Na segunda aula ele não queria entrar, precisei ficar com ele na piscina. Na terceira aula fez o maior escândalo no banheiro para e vestir e não entrou na piscina. Na quarta aula, a mesma coisa. Na quinta, só de estacionar o carro na frente da academia ele já tremia, chorava e pedia pra ir embora.

Ah! Que frustração! Muitas vezes queremos proporcionar experiências diferentes e maravilhosas aos nossos filhos e eles simplesmente não correspondem com as nossas expectativas.

Ao mesmo tempo que eu achava que precisávamos insistir, aquela situação toda me despedaçava dia após dia. Me perguntava onde eu estava errando, porque ele agia assim. Não sabia o que fazer, se eu deveria insistir mais – dizem que isso passa – ou desistir e deixá-lo escolher seu próprio tempo.

Por mim e por ele, principalmente, desistimos da natação por enquanto. Não estava fazendo bem pra ele, o deixava nervoso e ansioso. Não estava me fazendo bem, também.

E assim, mais uma frustração materna para guardar na prateleira de lições e recordações de uma maternidade com apego.

Previous Quando é a hora certa de mudar para a caminha?
Next Odontopediatria: Higiene Bucal em Bebês

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *