Na dúvida... dê um livro!

Tudo bem que o Natal já passou mas o tempo todo temos alguma festinha de criança pra ir ou visitar alguém que não se vê há tempos e lá tem um filho, sobrinho, neto...
Sempre me perguntava.. O que dar de presente? Roupa, nem pensar... Criança não gosta de ganhar roupas [mas os pais adoram!].. Brinquedo? Sempre acho que a criança já deve ter muitos.. E se eu der um repetido? E se ela não gosta do que eu escolhi? Uma criança não vai falar "mãe, me leva no shopping que eu preciso trocar um presente..."..
Na dúvida sempre dei um livro... E sabe que, depois que me tornei mãe, adoro ganhar livros?!

Ok.. Meu filho ainda é novinho e mal se interessa por isso..  Mas um dia ele vai!
Um livro é algo que estimula a imaginação, treina a concentração, incentiva a leitura e ainda é fácil de guardar e não enjoa!

Você já reparou na infinidade de títulos? Livrarias como Cultura, Saraiva e FNAC tem milhares de exemplares pra todas as idades! E ainda tem mais... Com pouco mais do que R$ 20,00 é possível presentear uma criança com um ótimo livro! [Experimenta ir numa RiHappy com uma nota de 20 na mão e você vai ver com o que vai sair de lá.. Uma massinha de modelar!]

É isso aí.. Minha dica de hoje é essa... Na dúvida dê um livro!


Como fazer um bebê gostar de ler?É desde o colo que se alimenta o hábito da leitura, despertando no bebê o gosto de ouvir as palavras

Quem se dedica a ler para uma criança desde os seus primeiros meses de vida, valoriza o ato da leitura e estreita os laços afetivos com ela. O fato de ser apenas um bebê não é impedimento para manter os livros afastados da rotina diária. Ao contrário. É desde o colo da mãe ou do pai que o bebê pode/deve se aproximar desse universo mágico, despertando o prazer de ouvir o som das palavras, por exemplo.
A fase seguinte acontece a partir dos três a quatro meses, quando ele consegue manter-se sentado. "O bebê começa então a demonstrar um envolvimento físico com o livro", lembra Theodora Maria Mendes de Almeida, diretora do colégio Hugo Sarmento, há 46 anos em atividade na capital paulista. "E se sente tão atraído que deseja conhecer esse objeto com a boca, o que é muito importante". 

{ Use sonoridade das palavras }
A musicalidade das palavras é o que mais desperta a curiosidade do bebê. Ele se diverte bastante com esse tipo de sonoridade, ainda mais ouvindo a voz da mãe ou do pai. O ideal é ler histórias de frases curtas, que repetem palavras, o que ajuda a identificar os sons; poesias e cantigas também causam grande efeito. 


{ Desperte o olhar }
As cores das ilustrações, assim como as texturas às vezes presentes nos desenhos, têm grande poder de sedução sobre os bebês. Em uma livraria, há sempre gente preparada para ajudar a escolher o livro de recursos gráficos mais adequados para despertar os sentidos de quem tem pouca idade.

{ Tato: ativar! }
Exatamente porque o bebê vai se envolver fisicamente com o objeto que tem em mãos, livros de plástico e/ou de tecido são os mais indicados nesta etapa inicial de contato com a leitura.

{ A distração faz parte }
É natural que o seu filho se distraia após as primeiras páginas, mas o ritual da leitura, quando praticado com regularidade, vai criar o hábito até mesmo tenra idade - prepare-se para ver o bebê reagindo ao som da leitura ou ao estímulo das cores e formas dos desenhos com sorrisos, gestos etc. "E se o seu bebê for superativo, capaz de ficar parado apenas cinco minutos, saiba que esse contato com o livro já está de bom tamanho", salienta Theodora Maria Mendes de Almeida.

{ Selecione bem }
Escolha um livro rico em ilustrações, de cores e formas atraentes. E cuja narrativa seja marcada pelo ritmo e pela repetição - mesmo com poucos meses de vida, o bebê é capaz de reconhecer a voz da mãe e/ou do pai que leem para ele, sentindo-se protegido com isso.

{ Escolha um bom ambiente }
Sente-se em local confortável, procure relaxar, pois o seu bem estar irá contaminar o bebê acomodado no seu colo. Leia de modo a valorizar as rimas e as repetições de vocábulos, lembre-se que a criança se sente atraída pelos sons das palavras.

{ Incentive a descoberta }
Mostre as ilustrações bem de perto à medida que aparecem no livro. E deixe que o bebê "experimente" o que lhe chamou a atenção, agarrando ou levando à boca o objeto - é o seu modo de se envolver com o universo desconhecido de um livro.

{ Solte a voz! }
Para o adulto que se sente por alguma razão constrangido de ler em voz alta, a recomendação é, primeiro, se inteirar da história que vai ler de modo a se sentir familiarizado com ela; e, depois, não se preocupe com o próprio desempenho, afinal, trata-se de um ritual entre pais e filhos - ninguém vai atuar como juiz ou dar nota.

{ Crie o hábito }
Do mesmo modo que existe a hora de comer, dormir, passear etc., é importante criar a hora da leitura do bebê, investindo no hábito que vai, com o passar do tempo, tornar a criança um leitor.


Texto extraído do site:
Educar

Comentários

Instagram

Postagens mais visitadas